domingo, 23 de janeiro de 2011

Homem de Pedra VIII

salve! salve!
continuando a prosopopeia dos tolos achei um poema que o chamo "das antigas", no tempo em que sentia-se um iluminado ao escrever, "porque da maioria dos livros que li hoje se tiver bom mesmo são dois ou três capítulos", e ter um texto como esse que percebe-se duas ou três frases boas para mim não é o que interessa, mas a possibilidade de escrever um livro com mais qualidade e menos diagramação, do que a mídia que os sábios escritores oferecem, "qualidade hoje é mídia", é? é mesmo? _ dê-me folhas!



é bom ver que o homem escreve o seu passado. mas é no futuro.
eu já descobri onde se entrava as metaliguagens; o que sempre me faltou por falta de interesse é crítica. sugestão. desembargo social. arte que se questiona aqui não é solução, num é abreviar, arte aqui é a vida.

________________________________________________________________________

Homem de Pedra VIII
(Perto do Começo)
 
Era um dia turbulento...
Mal sabia como, ou se fazia...
Parado e andante, assim era...
Aquele dia solta-o...
Com um time de futebol por vez,
Galera pequena, mas que vive na correria.
Em toda sua amizade, eram as boas suas más companhias.
Mas ele...
Queria mesmo era ver o fim...
O começo é sem graça,
Tudo está fora de lugar ou inexistente,
As provações duras e não tementes...

teme a vida...
teme a morte...
teme tudo...
até a sorte.
libera a dor que amplia,
na cegueira,
de paladar em tatos,
dos cascos.
__ "Ei! Homem de Pedra? É você? Completamente cego... Velho gagá de gerações, mal viu filhos, abraçou netos, e bem de perto vê ele...rs, agora premedita como vai ser o tão esperado... conserto de lima em pedra, devagar como um fugitivo, sendo... e espantando, pronto para causar-te..."
 
__ "um dia Perto do Começo, eles terão seu fim de perto, ou seria Perto do Fim?"
( são dois pontos externos, que estão sempre de fora, e fora a humanidade, tudo, tem seu fim, começo, é muito pouco de vida, mas para isto o Agorismo prescrevo... que ele não vai ser apenhado, apanhado, sem mordaça enforcado. suba no balde? deixarei teus pés a 10 centímetros do chão... só para teres o gosto de ver você me pisar, iria tremer na base, e antes de borrar-se morrer.)

e morte é solução,
             e vida o começo...
                      e morte é solução,
                                      e vida o fim,
                                                      e mais...
                                                                                       tem vida que morre,
                                                                        tem vida que vive,
                                                                outros se enganam,
                                                e de pedradas se atingem,
                                       a era da primeira,
                       tome-a na testa,
__ "tremível, aquela capa nem segurava o vento por entre suas linhas... ela tremia, balançava... e a chuva de letras aumenta, e seus pingos começam a encharcar os pés das folhas, mas em meio da tempestade pensou no copo, e em quantos aborrecimentos poderiam estar em efeitos sísmicos... é o começo de uma lógica sem igualdade. onde todos terão de se procurar antes de ter. e não faça o mesmo ir-se, ou tramar o fim, aqui tem uma grande permissão, á do sim, á do não, e começou..."
em avos,
ficou gago.
__ !... 'percebia-se que não sairia do mesmo modo, que teria outras interpretações, ações, em formas bilionárias de vistas as coisas mudam, e pegam outro rumo em novas bocas, acrescidas de teu conhecimento pode reinventar-se e até mesmo te destruir'
__ Perto do Começo...
Olha bem,
Vê se finca o pé,
E saí fora!
 
Humberto Fonseca

video


Nenhum comentário: