quinta-feira, 19 de maio de 2011

Um dia, como se fosse outro, mas é esse.

Dia de muitas reverberações. de imaginação negra que se enfrenta empunhando lanternas. luz pequena. facho não mais que a distância dos olhos. assim é o ver. e a música hoje me sonou. é bom ter sua visita. o timbre. o toque e o som. a velocidade do som. a memoria que grava. o som, a velocidade, e o timbre, como se fosse a velocidade da luz. música para mim é estar fora do corpo. ser espírito. alma. outro ser. outro que não esteja entre nós. pois nem todos sentidos são corporais. nem todo corpo sente. uns o escutam, ouvem...

sintam apenas o aroma da poesia.
o som está guardado em cada um.

____________________________________________________________________

Meu Deus é Árabe


O grito surgiu,
Nas areias,
De Abraão...

Entre espadas,
As lágrimas,
No seu grito de paz.

O Silêncio,
As vozes deram as mãos,
A praga,
Esqueceram de Deus.

A beleza,
Bélica...
Bíblias,
Alcorões,
Pirâmides,
Palácios.

E almas,
Contra armas.
E deuses,
Contra deuses.
Crenças assassinadas...

Não sei quanto tempo,
Não sei quantos anos,
Não sei quantos séculos,
Dessa antiguidade.


Sob os véus,
Padecem,
As raparigas,
Desejam,
Escarne-iam...

____________________________________


eh noses e caramelos!

Humberto Fonseca

2 comentários:

Milton disse...

Ohhh amigo, que bom encontrar um "imbitubense adotado" tanto quanto eu, por aqui, no universo blogueiro.
Que bom também poder colocar um outro blog da terrinha aqui na minha lista de amigos e outros que sigo.
Foi muito bom receber sua visita e obrigado pelos elogios.
Vamos nos encontrar por ai e trocar umas idéias.
Abraço forte!

Humberto Fonseca disse...

sem palavras meu queridoooo!!!!