Humberto Fonsêca

domingo, 22 de novembro de 2015

Ser Poeta - Poesia: Humberto Fonsêca


 
















"Ser Poeta"



Que profissão,
Que destino,
Que amargura,...

Quais vitórias,
Quantos tropeços,
Quase nenhum sucesso...
Quantos questionamentos,
Sociais, políticos, educacionais, familiares,
Quantas mascaras feitas, refeitas, desmascaradas,
Quantos sentimentos, sentidos, realidades,
Quantos sonhos, ambições, realizações,
Quantas paixões, amores,
Quantas decepções, desavenças,
Quantos entendimentos, sociologias,
Quantos estudos, técnicas, aprendizagens,
Quantos cursos que não tiveram nenhum curso,
Além da palavra, dos objetivos, dos instintos...

Quanto me pagam pra ser poeta,
Quanto me deram pra ser poeta,
Quantos fizeram por mim algo que me fizessem poeta...

Quantos martírios,
Quantas lágrimas,
Quantas solidões,
Quantos perdões,
Quantas brigas...

Terei eu ainda pra suportar,
Pra sustentar,
Que não sinto ferida ou dor alguma,
Para seguir adiante das desavenças,
Nesta obscura profissão,
De ser poeta.




 Humberto Fonsêca

Nenhum comentário: